spcorumvin.jpg (6859 bytes) spcorumvin2.jpg (4316 bytes)


Onde dormir, onde comer,
o que fazer, como se mover, como se comunicar

Em Santa Cruz de la Sierra

Rodoviária
Avenida Cañoto com avenida Irala (é só perguntar pra qualquer taxista)
Por mais fuleiras que possam parecer, todas as companhias possuem ônibus em pleno funcionamento e até bem conservados (nós usamos a "Cia. El Dorado" nas duas viagens). Cuidado: a maioria dos veículos não possui banheiro. Se ligue também nas promessas de ônibus no estilo "bus-cama". Não espere encontrar uma cama ali, mas sim uma poltrona mais comprida e reclinável. As passagens para Cochabamba podem variar de 50 Bs (ônibus normal) a 70 Bs (bus-cama), com direito a filmes no videocassete.

Gelateria Dumbo
Calle Ayacucho, 247 - Santa Cruz de La Sierra
Pollo com arroz e papas? Hamburguesa gigante com salada e milk-shake? Cervejas Paceña geladíssimas? Enormes taças de sorvete com cereja em cima? Tudo isso, e muito mais, só mesmo na Gelateria Dumbo, a lanchonete mais incrementada deste lado dos Andes. Os garçons são simpáticos, a TV colorida funciona, os preços são minúsculos (mesmo! Até a dose de uísque é em conta!) e o banheiro é um brinco. E o mascote do local é ele mesmo, o elefante orelhudo da Disney, muito porcamente desenhado. Mas quem liga pra isso? Corra já pro Dumbo!

Plaza 24 de Setiembro
O marco central de Sta. Cruz de La Sierra. Ali é possível relaxar num banco, apreciar a paisagem, conferir uns artesanatos e até visitar a Cathedral mais bonita da região. Bichos-preguiças podem ser vistos (com muita sorte - nós não vimos) pendurados nos galhos altos das árvores. E claro, o Dumbo é logo ali ao lado!

Em Cochabamba

Rodoviária
Avenida Aroma com Ayacucho, próximo ao Morro de San Sebastian (é melhor perguntar para um taxista)
Uma rodoviária de respeito e bem equipada. Aqui, as companhias só vendem passagens para La Paz no dia da viagem. Chegue ao local com antecedência, já que é difícil arrumar passagens em julho. O preço fica, em média, 30 Bs. Alertamos mais uma vez: cuidado com os lanches da rodoviária. O Alberto passou mal durante a viagem e não foi algo bonito de se ver. Prepare-se para um percurso de seis horas, frio, sinuoso e enjoativo. Sente-se na janela para apreciar vistas assustadoras.

Hostal Central
Calle General Acha (a uma quadra da Plaza 14 de Setiembro) - Cochabamba
De fora, não se dá nada a este hotelzinho uma estrela. Mas por dentro, o conforto é total (principalmente depois de 30 horas num ônibus). Há opção do quarto triplo (três camas de solteiro), com TV e chuveiro quente. Ainda oferece um café da manhã meia-boca, mas que quebra galho. Tudo isso por módicos 40 Bs por cabeça.

Gelateria Dumbo
Avenida Heroínas, 0440 - Cochabamba
Tudo o que falamos sobre o Dumbo de Sta. Cruz se aplica dez vezes a suas filiais de Cochabamba (esquecemos o endereço da outra, mas é só perguntar pro tiozinho do balcão). Para chegar, sentar e passar três horas apreciando os quitutes do local, tudo regado a uma saborosa cerveza Paceña. E é tudo tão baratinho que dá até dó. "Se todos fossem iguais ao Dumbo, que lindo seria viver", já diria o poeta.

Pension Familiar
Calle Ecuador com Calle Hamiraya - Cochabamba
Grande opção para o almoço. Por 5 BS, é possível traçar um legítimo "Pancho", que é o prato-feito boliviano e consiste numa travessa cheia de arroz, papas, bife a cavalo e tomate. Não é aquela delícia, mas pelo precinho, vale a pena.

Plaza 14 de Setiembro
O polo cultural da cidade. Os artistas pintam seus quadros, as crianças correm atrás de pombos, os engraxates passam graxa e os velhinhos assistem à banda passar. Local agradável, cheio de locais e turistas, perfeito para um passeio matutino ou uma folga de fim de tarde. Visite também a igreja em ruínas, logo ali.

El Prado
É um passeo. Mas o que é um passeo? Fácil: uma avenida com canteiros. É também a última palavra em local para boas caminhadas. Cochabamba é meio fraca de balada noturna, então uma boa opção é camelar por todo o El Prado, observando os carros e o movimento de gente. É só perguntar pra qualquer garota boliviana esperta: elas sabem bem onde é o Prado!

Morro de San Sebastian
Ao lado da rodoviária
A melhor vista de Cochabamba. Enquanto uma bandinha toca grandes sucessos do cancioneiro boliviano, é possível apreciar um picolé de plátano (ou banana) enquanto curte-se todo o visual dos Andes. Diversos monumentos históricos estão espalhados pelo local. Ótimo local para fotografias de paisagens.

Mansão de Simón Patiño
Avenida Potosí, 1450 - Cochabamba
Também conhecido como Palacio de Portales, a Mansão do milionário mais famoso da Bolívia é visita obrigatória aos turistas sedentos por cultura local. Inspirada no palácio de Versailles na França, a mansão foi construída em 1927 mas nunca foi habitada (Patiño morreu antes). Ela é aberta a visitas com guia em dias de semana (às 5 da tarde) e aos sábados, 11 da manhã. Custa só US$ 1. Não sabemos como está agora, mas em julho de 98 havia uma belíssima guia dando sopa por ali. Quem sabe ela ainda não está lá?

Agência dos correios
Avenida Heroínas com Ayacucho - Cochabamba
Está viajando há uma semana? É hora de mandar aquele cartãozinho para a mamãe e os amigos. Em qualquer lojinha é possível comprar lindos postais dos locais mais bonitos de Cocha, a 1 Bs cada. E nem é preciso comprar selos. Vá até a agência postal local (aberta das 8 às 7 da noite) e carimbe os cartões direto no balcão. É baratinho!

Santa Cruz de La Sierra
País: Bolívia
Pop: 730.000 (2a. maior cidade do país)
Altitude: 473 m
Clima: ameno e estranho: fresco e úmido de dia, frio de madrugada; pode chover.
Caract: apesar de ser a 2a.maior cidade da Bolívia é pequena. Há muitos turistas, pois é ponto de chegada do Trem da Morte.

Cochabamba
País: Bolívia
Pop: 300.000 (3a. maior cidade do país)
Altitude: 2570 m
Clima: ameno. Fresco de dia com sol e vento, muito frio de madrugada;
Caract: clima calmo de cidade pequena, mas com forte apelo comercial e turístico. É agradável e receptiva.

volta para
Sta. Cruz e Cochabamba

dicas importantes
e
coisas curiosas

fotos